PLANO DE SEGURANÇA DE INDAIATUBA
2009 / 2016

O Plano de Segurança de Indaiatuba tornou-se referência, principalmente pelos resultados obtidos. Contudo, nada seria possível se não fosse a participação ativa dos funcionários da Secretaria Municipal de Segurança Pública, de guardas civis, policiais civis, militares e o apoio da população. A iniciativa comprovou que não adianta ter o que há de mais moderno em tecnologia sem que todos apoiem o projeto. Afinal todos são parte importante do processo.

Indaiatuba tem crescido vertiginosamente e atualmente, ela conta com 226.602 habitantes (IBGE, 2014) e o número de empresas não para de crescer.

Grandes investimentos foram aplicados para combater e reduzir a criminalidade, atuamos em um amplo sistema de segurança que aliou tecnologia, inteligência, treinamento e integração, e que mostrou ser é irreversível e eficiente.

Em 2008, nas pesquisas voltadas as necessidades mais prementes dos moradores apontavam quase sempre numa direção: a cidade de Indaiatuba estava intranquila pela falta de segurança. Infelizmente hoje não seria diferente na maioria dos municípios médios ou grandes do nosso país e a segurança aos olhos da população, é também responsabilidade das prefeituras.

Entre 2001 e 2008, ainda antes de implantar o Plano de Segurança de Indaiatuba, somente os furtos e roubos de veículos ( maiores reclamações da população ) haviam crescido mais de 200%. Já em 2012, após o sistema estar em pleno funcionamento, a redução ultrapassou os 70%. Sem contar o aumento de 53,41% da frota em quatro anos. E não foi só isso: os demais delitos também caíram consideravelmente.

Dessa forma além da redução da criminalidade, o plano também teve seu mérito ao motivar, valorizar os profissionais, integrar as forças de segurança e proporcionar à população sensação de segurança almejada.

Atualmente a Guarda Civil possui 52 viaturas e um efetivo de 254 guardas. Desde 2009, foram adquiridas mais de 30 novas viaturas, além da aquisição de munições, novas pistolas e coletes à prova de bala.

Quando falamos em investimento em tecnologia, inteligência e inovação, falamos da criação do COI (centro de Operações e Inteligência).

Nele controlamos mais de 600 câmeras usadas na Segurança Pública. Elas estão divididas entre os monitoramentos urbano, veicular e câmeras cidadãs. E mais, temos tecnologia de ponta, seja em comunicação como em Inteligência Artificial, que nos oferece a localização dos suspeitos, além de homens treinados e de uma integração operacional com as demais polícias. Todos trabalham coordenados e de forma estratégica.

A iniciativa tornou-se uma referência no Brasil e no exterior. Já recebemos mais de 200 visitas de governos estaduais, polícias, empresas da área de segurança, além de cidades como Miami (EUA), Buenos Aires (Argentina) e Bengbu (China), do ministro de Indústria e Comércio do Senegal, além do embaixador extraordinário e plenipotenciário do Senegal, El Hadji Amadou Niang, que também é ex-subsecretário das Nações Unidas (ONU).

A integração regional sempre foi defendida pelo Prefeito de Indaiatuba Reinaldo Nogueira (PMDB), pois na sua visão a Segurança Pública para ser eficiente tem que ser planejada, executada e integrada, de maneira regional, metropolitana.

Assim nasceu a CRIM – Central Regional de Inteligência e Monitoramento e com o sucesso do Plano de Segurança de Indaiatuba na redução histórica dos índices de criminalidade, a ideia de integração tornou se ainda mais viável. Quanto mais cidades integradas, maior será o cerco à criminalidade.

A interligação permite que o alarme sonoro e visual seja acionado ao mesmo tempo nos centros de operações das cidades envolvidas na ocorrência, assim que um veículo suspeito é detectado. A informação é passada automaticamente em tempo real para todas as guardas civis interligadas.

Desde que começou a operar, no final de 2012, a CRIM já solucionou 120 casos intermunicipais envolvendo duas ou mais das 11 cidades interligadas: Hortolândia, Indaiatuba, Itatiba, Jaguariúna, Jundiaí, Limeira, Louveira, Monte Mor, Nova Odessa, Santa Bárbara d’Oeste e Vinhedo.

Além disso criamos uma agenda positiva através do Deputado Estadual Rogério Nogueira (DEM) para cobrar maior apoio do Estado para a Segurança em Indaiatuba.

Recebemos reforços nos efetivos, equipamentos e viaturas da PM, da Polícia Civil e do Corpo de Bombeiro. E a grande conquista foi a desativação da cadeia pública feminina que há 40 anos funcionava na área central da cidade e a integração efetiva das forças policiais na cidade: Guarda Civil, Policia Militar e Policia Civil.

Nesses 05 anos do Plano de Segurança, criamos, reformulamos e inovamos em vários aspectos a Guarda Civil, como o modo de agir e pensar a segurança em nossa cidade.

Entre eles estão a criação:


• DGE - Departamento de Gestão Estratégica da Secretaria de Segurança
• GPGC – Grupo Permanente de Gestão e Controle do DGE
• Divisão Administrativa da Guarda Civil
• Divisão Operacional da Guarda Civil
• Divisão de Ensino e Treinamento da Guarda Civil
• Telecentro
• Setor de Psicologia
• Setor de Relações Públicas da Guarda Civil
• Alto Comando da Guarda Civil
• Grupo Especial de Análises Criminais (Geac).
• GAP – Grupo de Apoio Preventivo
• GOC – Grupo de Operações com Cães ( Canil)
• GAM – Grupamento Ambiental
• GETRAN – Grupamento Especial
• Anjos da Guarda ( Ronda Escolar)
• Guarda de Honra
• COI – Centro de Operações e Inteligência
• Monitoramento Urbano
• SIN – Setor de Inteligência
• CRIM – Central Regional de Inteligência e Monitoramento

Reestruturação:


• Defesa Civil de Indaiatuba
• Corregedoria e Ouvidoria da Guarda Civil
• Projeto Educando para Vida
• Setor de Planejamento da Guarda Civil
• Setor de Estatística e Desenvolvimento
• COADE – Centro de Atendimento e Despacho ( 153)
• Setor de Logística
• Armaria
• SPM - Setor de Provimento de Materiais
• Oficina Mecânica
• ROMI – Ronda Ostensiva com Motocicletas de Indaiatuba