A GUARDA CIVIL



A Guarda Civil de Indaiatuba age objetivamente em conjunto com as demais forças policiais. Com trinta anos de existência ela sempre foi armada. Atua preventiva e ostensivamente para proteção do cidadão e dos bens públicos. A história da Guarda funde-se com a história do combate ao crime em Indaiatuba.

Hoje, equipada e cada vez mais preparada, a Guarda Civil indaiatubana tornou-se referência e não para de inovar, de revolucionar. As políticas públicas que se aplicam são dotadas de extremo cuidado e objetividade para alcançar os resultados esperados. Mesmo assim, de nada adiantaria todo esforço se não fosse a competência e todo o comprometimento dos guardas civis. Todos os dias, eles saem de casa e deixam suas famílias para proteger todas as famílias de nossa cidade. Essa é uma história construída com muitas lutas, mas que também vivência inúmeras vitórias.

É formada por 256 Guardas Civis, 50 Guardas de patrimônios e aproximadamente 50 outros colaboradores.

Possui atualmente 52 viaturas e foi dividida a partir de 2010 em 03 importantes Divisões e orgãos de apoio:



1. Divisão Administrativa , com 07 setores
2. Divisão de Ensino e Treinamento, com 06 setores
3. Divisão Operacional, com 14 setores
4. COI – Centro de Operações e Inteligência, com 04 setores
5. SIN – Setor de Inteligência
6. CRIM – Central Regional de Inteligência e Monitoramento
7. Alto Comando da Guarda
8. GEAC – Grupo Especial de Analise Criminal

Missão

Proteger e socorrer a população nos casos de necessidade, oferecer serviços de vigilância diuturna dos bens, serviços e instalações municipais e promover ações de prevenção visando garantir a segurança da municipalidade.

Visão

Ser uma Guarda de referência em qualidade, atendimento e confiabilidade em todos os serviços prestados.

Valores


• Ética:
Conjunto de condutas e preceito de ordem moral, que orientam as nossas ações.
• Honestidade:
Compromisso com a verdade e a dignidade.
• Comprometimento:
Total envolvimento e empenho no atendimento dos objetivos da corporação.
• Conhecimento:
Domínio de um assunto ou tecnologia para melhoria de resultados.
• Produtividade:
Capacidade de produzir melhores resultados com menos recursos.
• Respeito:
Atitude de estima e consideração manifestada através de uma postura digna.
• Equidade:
Agir com correção, lisura, retidão, equanimidade, igualdade e imparcialidade.

HISTÓRIA



Formação 1ª turma da GM

A Guarda Civil foi criada pela Lei Municipal nº 1.999 de 31 de outubro de 1983, com a finalidade de colaborar com a Polícia do Estado no serviço de segurança do município, seja ela de ordem pessoal ou patrimonial, exercendo vigilância diuturna nas vias e logradouros públicos, além de socorrer a população nos casos de necessidade. Em 1984, 200 pessoas candidataram-se para concorrer aos primeiros cargos da Guarda. Após provas escritas, exames médicos e testes de aptidão física, 44 foram selecionadas.

A primeira turma iniciou o Curso de Formação em 1º de fevereiro daquele ano. Foram 500 horas de aulas, durante 90 dias, ministradas por um corpo docente formado por magistrados, oficiais da Polícia Militar e especialistas em Direito Penal, Prática Policial, Instrução Policial, Ordem Unida, Relações Públicas, Armamento e Tiro, Socorros de Urgência, Língua Portuguesa, Defesa Pessoal, Educação Física e Natação. O curso aconteceu em uma sala no Ginásio Municipal de Esportes.

A solenidade de formatura foi realizada na manhã de 5 de maio de 1984, em uma sessão solene realizada na Praça Prudente de Moraes, com a presença de dezenas de autoridades civis, militares e eclesiásticas. O ato foi presenciado por um público de mais de 20 mil pessoas, que assistiu os formandos prestarem seu compromisso com o município, cantarem o Hino Nacional e o Hino de Indaiatuba, e fazerem o desfile da tropa. Ficava, então, marcada a entrega oficial da corporação à cidade. No mesmo dia, os guardas iniciaram seu trabalho com patrulhamento ostensivo.

No início, a corporação atuava, praticamente, como uma extensão da Polícia Militar. O comando era exercido pela PM. Mas aos poucos foi conquistando sua independência. Foram necessários pouco mais de 15 anos para obter estrutura própria, o que começou a ocorrer por volta do ano 2000.

Com a entrada em vigor do Estatuto do Desarmamento (Lei nº 10.826/2003), Indaiatuba firmou convênio com o Ministério da Justiça e com isso todo o efetivo passou por requalificação. A iniciativa possibilitou, ainda, a assinatura de convênio com a Polícia Federal para obtenção do porte de arma de fogo funcional.